Chevron se compromete com emissões operacionais líquidas zero até 2050

Por: Abudo Omar
Data: 12/10/ 2021
Visualizações: 27


Logotipo da Chevron (sweetcrudereports)

A Chevron Corp estabeleceu na segunda-feira uma meta de reduzir as emissões operacionais para zero líquido até 2050, juntando-se a uma lista de empresas de energia que tomam medidas para reduzir a sua pegada de carbono.

O movimento para cortar as emissões upstream das suas próprias operações e as emissões indirectas, como as da geração de energia, ocorre à medida que investidores e governos aumentam a pressão sobre as empresas de energia para se juntarem à luta contra as mudanças climáticas.

Em Junho, a campanha do accionista Engine No. 1 forçou a Exxon Mobil Corp, parceira da Chevron nos Estados Unidos, a aceitar novos membros do conselho que poderiam exercer melhor supervisão sobre a sua estratégia de negócios e enfrentar o risco da mudança climática global que muitos investidores dizem que a Exxon reluta em abordar há muito tempo.

As metas líquidas de zero da Chevron não incluem gases de efeito estufa de todos os combustíveis que vendem, ao contrário de concorrentes do petróleo europeus, como a Royal Dutch Shell e a italiana Eni. Empresas como a Equinor da Noruega e a Repsol da Espanha pretendem reduzir ou eliminar todas as suas emissões até 2050.

As emissões de metano, gás de efeito estufa, a maior causa da mudança climática depois do dióxido de carbono, estão enfrentando mais escrutínio à medida que os governos buscam soluções para limitar o aquecimento global a 1,5 grau, uma meta do acordo climático de Paris.

A Chevron espera atingir a sua meta por meio de seu pivô em direcção aos negócios de baixo carbono, incluindo energias renováveis, tecnologia de captura de carbono e hidrogênio.
 
A maior do petróleo, que no mês passado prometeu triplicar os seus investimentos para US $ 10 biliões para reduzir a sua pegada de emissões de carbono, disse que pretende cortar a intensidade das emissões de carbono em mais de 5% até 2028 em relação aos níveis de 2016.

Fonte: Sweet crude reports


Notícias Destacadas

Notícias Recentes